Colégio Imperatriz e Agrária formam técnicos e mestres cervejeiros

21/12/2021

Após onze meses de imersão no distrito de Entre Rios, os alunos da primeira turma do Curso Técnico em Cervejaria (CTC), ofertado pelo Colégio Imperatriz Dona Leopoldina, em parceria com a Cooperativa Agrária Agroindustrial, receberam seus diplomas no último sábado. Os 19 formandos passaram, na semana passada, por uma criteriosa banca examinadora, composta por 22 nomes de referência no mercado cervejeiro brasileiro. A cerimônia de formatura ocorreu no sábado, dia 18.

Desde o começo do ano, os estudantes oriundos de oito estados brasileiros viveram o pacato cotidiano de Entre Rios. Mas os conteúdos adquiridos foram tudo, menos monótonos. Dada a estrutura interna da Agrária, os alunos conheceram todos os processos de produção cervejeira, do chamado “campo ao copo” – ou seja, desde a pesquisa dos cereais, realizada pela FAPA (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária), até a produção na cervejaria experimental da Agrária Malte.

“A estrutura do colégio e da cooperativa, a qualificação do corpo docente, a preocupação com o aprendizado dos alunos e a distribuição dos conteúdos ao longo do curso são alguns bons exemplos do que me impactou positivamente”, explicou o estudante Giovani Gramsci de Mendonça Martelli, 26, que veio do Recife (PE) para vivenciar seus últimos onze meses no distrito guarapuavano. “Foi uma excelente experiência. O povo é muito acolhedor e a cidade, encantadora. A única dificuldade, especialmente para quem saiu do calor de Recife, foi arranjar casacos suficientes para aguentar o frio no inverno”, acrescentou, bem-humorado.


E não é para menos. A aprovação no curso garantiu aos 19 estudantes a certificação como técnicos em cervejaria. “Já os alunos que tiveram sucesso na banca (da semana passada) receberam certificado de mestres cervejeiros”, destacou a coordenadora pedagógica do CTC, Deise Feltrin. “Por meio da banca, os alunos também puderam apresentar a estes 22 profissionais todo o seu conhecimento, favorecendo seu ingresso no mercado de trabalho”.

Oferecer à indústria cervejeira profissionais cada vez mais qualificados, capazes de apresentar soluções com assertividade e autonomia é um dos traços do Curso Técnico em Cervejaria do Colégio Imperatriz, na opinião de Nerci Kunrath, gerente de operações industriais do Grupo Petrópolis. “Pudemos perceber a profundidade com que os cursos foram ministrados ao longo do ano e o nível de absorção dos alunos. Sentia-se falta de um curso técnico deste porte, que traz vários efeitos positivos, como a reunião de profissionais, o compartilhamento de conhecimento, soluções conjuntas e o conceito cervejeiro disseminado aos estudantes”, frisou.

Além da densa interdisciplinaridade, muitos estudantes valorizaram a imersão na cultura dos Suábia do Danúbio, cuja origem é alemã. “Esse fator cultural é enriquecedor e muito importante, sendo um conhecimento extracurricular”, salientou o estudante Eduardo Augusto dos Santos Gonçalves do Valle. “Vai além das qualidades das colônias de Entre Rios, como um local organizado e limpo; as colônias têm história e uma raiz familiar muito forte, centralizadas no trabalho e no sistema cooperativo. Esse aprendizado só se obtém durante o convívio”, acrescentou.

Para Alexandre Esber, da Academia da Cerveja da Ambev, a capacitação de jovens potenciais traz benefícios aos aspirantes a cervejeiros, ao mercado e à instituição de ensino, gerando credibilidade em todas as frentes. “Esses alunos se concentraram em seu sonho e dispuseram de uma estrutura excelente. Dá gosto de ver o grau de conhecimento adquirido de quem se dedicou a esse desafio”, salientou.


Banca final e formatura

A banca final para os alunos do Curso Técnico em Cervejaria foi realizada na quinta-feira, dia 16, nas instalações do Colégio Imperatriz. “É um diferencial proporcionado pelo Colégio Imperatriz para a obtenção da certificação de Mestre Cervejeiro, visto que o diploma de Técnico em Cervejaria é obtido com a conclusão exitosa do curso”, explicou Deise.

Durante a banca, os alunos foram submetidos a arguições dos avaliadores externos, de grande expertise no mercado. “Quem souber fazer bom proveito dessa bagagem técnica e teórica para se fortalecer para o mercado, vai ter um grande diferencial no futuro”, observou o avaliador Reinaldo Franco, gerente de tecnologia cervejeira da Heineken.

Após a banca, os alunos, avaliadores e professores do curso confraternizaram, ao som de música e de um jantar tipicamente alemães. Para marcar o início da confraternização e a banca da primeira turma de Mestres Cervejeiros do Colégio Imperatriz, não poderia faltar a abertura do primeiro barril de chope, com a exclamação típica: “O`zapft is!” (“Es ist angezapft!”), após se romper o barril de cerveja com um golpe de martelo de madeira, dando início às festividades.

Para a execução da ação, foram convidados o mestre cervejeiro Gerhard Beutling, com mais de cinco décadas dedicadas ao mundo cervejeiro, e o aluno Marcos José Parente Miranda Filho, que recebeu conceito máximo em todas as bancas.



Compartilhe esta publicação

Portal da Privacidade Desenvolvido por BRSIS
© 2018 - Agraria | Todos os direitos reservados.